terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pacote olímpico: rede hoteleira cobiça terrenos na Barra

RIO 2016


Publicada em 30/08/2010 às 23h23m
O Globo - 30/08/2010
    RIO - Os terrenos ainda disponíveis nos chamados núcleos residenciais do Plano Lúcio Costa, que deram origem aos condomínios de prédios com 20 andares ou mais na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, estão entre as áreas mais cobiçadas pelo setor hoteleiro para erguer novas unidades, caso o pacote olímpico que a prefeitura propôs à Câmara dos Vereadores seja aprovado. A avaliação é do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Alfredo Lopes, ao analisar as propostas da prefeitura para a concessão de incentivos fiscais e padrões urbanísticos especiais para hotéis que sejam erguidos para as Olimpíadas de 2016.
    - Hotéis de grande porte, para se tornarem viáveis, precisam ter 300 quartos ou mais. Para isso, precisam de grandes áreas. Essa oferta só existe em alguns pontos da Barra e na Zona Portuária. No caso da Avenida das Américas, devemos ter uma demanda pelo turismo de negócios. Executivos em viagem a trabalho pela cidade não se incomodam em não ficar hospedados à beira-mar - disse Lopes.
    O presidente da ABIH, porém, defende que a prefeitura crie estratégias para reforçar seu calendário de eventos e conceda incentivos fiscais para atrair novas feiras e congressos para o Rio. Na avaliação de Lopes, isso garantiria taxas de ocupação mais elevadas fora de grandes eventos como a Copa e os Jogos Olímpicos.
    Vagas extras para os jogos em navios e vilas olímpicas
    A estimativa do prefeito Eduardo Paes é que, dos 21 mil quartos que ainda são necessários para chegar às Olimpíadas com 50 mil unidades, 8 mil serão atendidos pela rede hoteleira. O restante será coberto por leitos provisórios em navios e vilas olímpicas. A proposta autoriza provisoriamente (até 31 de dezembro de 2015) a construção de hotéis, resorts ou pousadas, respeitando restrições urbanísticas de cada região, incluindo o gabarito. Entre as áreas liberadas estão trechos de Copacabana, Leme, Alto da Boa Vista, Avenida Niemeyer, Auto Estrada Lagoa Barra, Estrada do Joá e Estrada da Gávea, no trecho de São Conrado. Na Barra, além da Avenida das Américas, os novos hotéis seriam autorizados nas avenidas Ayrton Senna e Via Parque e na Estrada do Itanhangá.
    Para o presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes, Pedro de la Mare, a Barra deverá atrair mais investidores, porque os custos para construção de empreendimentos na Zona Sul seriam maiores, devido à escassez de terrenos. O secretário municipal de Urbanismo, Sérgio Dias, estima que, em Copacabana, restariam cerca de 30 terrenos com área total de 5 quilômetros quadrados, onde poderiam ser construídos hotéis.
    O presidente da Câmara Comunitária da Barra, Delair Dumbrosck, não vê inconvenientes dos terrenos da Barra serem ocupados por hotéis em lugar de residências:
    - Não vejo problemas se o gabarito for respeitados. Teríamos motivo para reclamar, por exemplo, se a prefeitura tentasse liberar os hotéis no Jardim Oceânico onde os gabaritos são menores - disse Delair.
    Por sua vez, o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, elogiou a decisão de propor o pacote olímpico com bastante antecedência em relação às Olimpíadas. Segundo ele, se houver necessidade rever ou propor mais incentivos, haverá tempo de sobra para a correção de rumos.
    O presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felippe (PMDB) disse que ainda não é possível estimar quando o pacote olímpico será votado. Ele antecipou, porém, que pretende realizar pelo menos uma audiência pública para discutir os projetos. O pacote olímpico inclui ainda pedidos de autorização para a prefeitura fechar um acordo com a Ambev para ampliar o Sambódromo e criar uma estatal para coordenar os preparativos para os Jogos Olímpicos. Paes também quer sinal verde dos vereadores para vender terrenos do autódromo Nelson Piquet na Avenida Embaixador Salvador Allende, que não forem aproveitados no projeto olímpico, e para construir nova pista em Deodoro.
    Ainda sem o pacote, a demanda por novos quartos no Rio já está aquecida. Segundo a Secretaria de Urbanismo, existem hoje 20 empreendimentos em diversos estágios de licenciamento na prefeitura que, caso saiam mesmo do papel, garantirão 4.300 leitos a mais para a cidade nos próximos anos. Apenas na orla da Barra e do Recreio estão sendo licenciados 1.395 novos quartos em sete novos hotéis e no anexo de uma construção já existente. Um dos que serão construídos na Barra é vizinho à praia da Reserva. O empresário José Leão estima investir US$ 40 milhões no projeto. Os cerca de 150 quartos deverão ser inaugurados em março de 2014.
    Um dos maiores projetos, porém, está longe das áreas turísticas. A construtora RJZ/Cirella, em parceria com a administradora de shoppings Ancar Ivanhoe, está licenciando dois hotéis (Ibis e Formule 1) que serão construídos numa área livre do Shopping Nova América, em Del Castilho. Os dois empreendimentos deverão somar 450 quartos. O local é considerado estratégico por estar a poucos metros de uma estação da Linha 2 do Metrô.
    - Hotéis não são feitos apenas para executivos. Existe demanda por quartos para os demais escalões das empresas. Esse é um investimento que faremos, independente de incentivos fiscais - disse o empresário Rogério Zylbersztajn.

    segunda-feira, 30 de agosto de 2010

    Chuvas de abril: Prainha-Grumari começa a receber obras complementares de estabilização

    ESTRAGOS


    Publicada em 30/08/2010 às 11h36m
    O Globo - 30/08/2010
    Eu-Repórter: Leitor mostra barreira de terra que bloqueia estrada que leva à Praia de Grumari no Rio, após dois meses das chuvas de abril / Foto do leitor Tarik Puggina
    RIO - Interditada desde as chuvas de abril, a Avenida Estado da Guanabara (Prainha-Grumari) começa a receber nesta segunda-feira obras complementares de estabilização, que incluem drenagem, instalação de tela de alta resistência, construção de cortina ancorada e outras estruturas. Técnicos da Geo-Rio fizeram uma avaliação geológica do local que indicou a necessidade de demolição e retirada de mais 8 mil m³ de encostas ainda instáveis. Serão investidos mais R$ 4,6 milhões para garantir a segurança na via.
    Segundo a Geo-Rio, o órgão já finalizou o desmonte e a retirada de cerca de 6 mil m³ de material deslizado. A Geo-Rio pretende concluir as obras até o início do verão. A avenida, no entanto, pode ser liberada antes disso, mas não há um prazo oficial.
    No início de julho, o leitor Tárik Puggina esteve na Praia de Grumari e registrou o estado de parte de uma estrada que fica próxima à Avenida Estado da Guanabara.

    sábado, 28 de agosto de 2010

    Em pleno inverno, Rio vai ter domingo de 39 graus

    28.08.10 às 02h41 - O Dia

    Em pleno inverno, Rio vai ter domingo de 39 graus

    Carioca sofre em semana que teve temperaturas altas e baixa umidade em todo o País

    Rio - Depois de uma semana de termômetros nas alturas e baixa umidade do ar em todo o País, os meteorologistas preveem que amanhã seja o dia mais quente no inverno desde 2006. A máxima deve chegar a 39 graus, ainda com tempo seco por causa da massa de ar quente sobre o estado, o chamado veranico. Ontem, o calor foi de 33 graus, três a menos que o de quarta-feira, recorde da estação no estado — e quando também a umidade do ar despencou a 12%, em Jacarepaguá. Chuvas são esperadas só para o dia 7.
    Fim de tarde ontem em Ipanema: temperatura mais amena no veranico | Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia
    O clima continuou seco no resto do Brasil. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta em Mato Grosso, São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. A umidade do ar nesses estados está abaixo de 15%, comparável à do deserto do Saara.

    >> Entenda o veranico no inverno

    Na capital paulista, a situação é mais preocupante. Ontem, a cidade registrou 12%, a segunda menor umidade desde 1961, quando a prefeitura começou a fazer a medição. Por causa da poluição, respirar o ar em São Paulo corresponde a fumar dois cigarros. Em Rondonópolis, no Mato Grosso — onde a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) chegou a passar mal quinta-feira —, a temperatura ontem atingiu 38 graus, com umidade do ar a 10%. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que taxas abaixo de 60% já trazem riscos para o organismo. 

    Queimadas

    Outro problema trazido pelo clima seco e falta de chuvas são as queimadas. Na semana, focos foram registrados no Parque Estadual dos Três Picos, em Teresópolis, na Reserva Biológica e Arqueológica de Guaratiba e no Parque Estadual da Serra da Valença, em Valença. Ontem, um incêndio de pequenas proporções ocorreu na Serra do Barata, em Realengo. Os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registraram só em agosto 84 focos de incêndio no Estado do Rio. Em todo ano de 2009, foram 47. 

    Na capital, a baixa umidade é considerada fora dos padrões. “É muito pouco para uma cidade litorânea”, afirmou Marcelo Pinheiro, do Climatempo. A temperatura só não foi tão alta ontem no Rio porque uma frente fria chegou ao Oceano Atlântico, trazendo uma ventania que amenizou também a baixa umidade.

    Muita água e pouco álcool nesta hora

    - Com falta de chuva e baixa umidade, a população precisa tomar cuidado para não ter problemas respiratórios. A médica Elisabete Blanc, do Hospital do Fundão, da UFRJ, explica que o ar seco pode irritar as vias aéreas. 

    - “Existe a possibilidade de problemas porque o aparelho respiratório não consegue umidificar o ar, causando irritações no organismo”. A médica faz recomendações para evitar problemas respiratórios e de alergia. 

    - Evite exercício físico na rua entre 10h e 17h.

    - Modere o consumo de bebida alcoólica, que contribui para a desidratação. 

    - Beba ao menos, dois litros de água por dia.

    - Usar blusas de manga comprida é recomendado para evitar a desidratação.

    Motos com câmeras vão fiscalizar as ruas do Rio

    TECNOLOGIA


    Publicada em 26/08/2010 às 23h13m
    Marcelo Dutra - O Globo - 26/08/2010
    RIO - Seis motocicletas com câmeras de última geração e pilotos-cinegrafistas treinados irão monitorar os mais diversos pontos da cidade do Rio a partir de novembro. As imagens, transmitidas ao vivo, serão direcionadas aos operadores do Controle Operacional da Prefeitura, na Avenida Presidente Vargas, no Centro.
    Segundo a prefeitura o projeto é fundamental para monitorar a cidade, principalmente por conta das obras com vistas à Copa do Mundo de 2014 e às Olimpíadas do Rio em 2016. A ideia é que, entre outras funções, os veículos identifiquem a causa de súbitas retenções no trânsito, localizem e informem sobre acidentes, incêndios, deslizamentos, regiões alagadas e até ocorrências policiais e permitam, de imediato, que os órgãos responsáveis (Polícia, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, por exemplo) sejam acionados.
    - As motocicletas têm acesso rápido a qualquer ponto da cidade, o que não ocorre com os carros. Essa é uma estratégia inédita no mundo e que trará enorme vantagem em termos de agilidade - comemora o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Cláudia Secin.
    O órgão está licitando o projeto, publicado nesta quarta-feira no Diário Oficial do Município.
    Empresa vencedora vai treinar os pilotos
    As "motocicletas inteligentes" devem custar aos cofres públicos mais de R$ 6,6 milhões. O contrato terá duração de 24 meses e a empresa contratada será responsável pela manutenção das motocicletas e das câmeras e pelo treinamento dos pilotos. Eles terão que ter noções de ajuste de imagem tais como iluminação, enquadramento e da tecnologia utilizada, uma vez que terão que operar as câmeras fora das motocicletas quando houver necessidade de gerar imagens em situações especiais, ou seja, em lugares em que os veículos não possam chegar.
    Em 10 de setembro a CET-Rio deve anunciar o nome da empresa ganhadora da licitação. Contudo, ela terá que apresentar um protótipo de moto personalizada que se encaixe a todas as exigências do processo licitatório.
    As câmeras de monitoramento vão girar 360 graus, podendo ser operadas à distância pelos técnicos da Central de Controle da CET-Rio, o que permitirá que ela gere imagens enquanto o motociclista está conduzindo a moto.
    - Elas poderão mostrar imagens do asfalto, das calçadas e de todo trajeto percorrido pelo motociclista. É a chamada tecnologia street view- explica Cláudia Secin.
    As imagens poderão ser acessadas por usuários cadastrados. Animado com a idéia o prefeito Eduardo Paes já "requisitou" uma das motocicletas para que ele possa conduzi-la às áreas que julgar mais estratégicas:
    - Como não posso estar ao mesmo tempo em todos os lugares da cidade, as motos vão me ajudar a tomar conta do Rio. Pelo meu celular vou poder saber o que está ou não andando e cobrar dos responsáveis.
    De acordo com o projeto, as motocicletas rodarão sete dias por semana durante 24 horas. Elas farão rondas por toda a cidade e só serão deslocadas de sua rota em caso de incidentes emergenciais.

    sexta-feira, 27 de agosto de 2010

    Instalação do Pan ganha prêmio de arquitetura


    Complexo Deodoro, que servirá à Rio 2016, ganha a premiação IAKS LAC Award







































    Da redação - São Paulo  - Portal 2014
    postado em 26/08/2010 08:53 h
    atualizado em 26/08/2010 11:15 h
    Considerado instalação “exemplar”, o Complexo Esportivo de Deodoro, que será sede de onze modalidades dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, recebeu, nesta quarta-feira (25), a Medalha de Ouro na seção América Latina e Caribe do mais importante prêmio de arquitetura para instalações esportivas do mundo, o IAKS LAC Award, da Associação Internacional para Instalações de Esporte e Lazer, que tem a chancela do Comitê Olímpico Internacional (COI).

    Concedida a “instalações esportivas exemplares”, a premiação foi feita esta noite no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo, durante o encontro Sports Business. O concurso premia instalações esportivas e recreativas em operação há pelo menos um ano, levando-se em conta a funcionalidade, a acessibilidade, a qualidade do projeto arquitetônico, a aceitação pelos usuários e operadores, a utilização de materiais e tecnologias de conservação de energia e a integração aos contextos urbanos e rurais. Além disso, o júri avalia as diferentes características econômicas e sociais de cada local.

    O Prêmio IOC/IAKS foi instituído em 1987 e é conferido a cada dois anos pelo Comitê Olímpico Internacional, com sede em Lausanne, na Suíça, e pela Associação Internacional para Instalações de Esporte e Lazer (IAKS), com sede em Colônia, na Alemanha. É a primeira vez que se realiza a versão latino-americana e caribenha do concurso, graças à parceria entre a IAKS Seção América Latina e Caribe (IAKS LAC) e a Associação Brasileira da Indústria do Esporte (Abriesp).

    O arquiteto chileno Jorge Ehlers Hodar, presidente da IAKS LAC, diz que “Nos sentimos entusiasmados de poder organizar um concurso destas características em nosso continente, já que nos últimos anos foram executados numerosos projetos em vários países, com participação de destacados estudos profissionais e técnicos, o que demonstra a relevância cada vez maior que este tipo de instalação de grande benefício para a população está adquirindo nestas latitudes”.

    A construção
    O Complexo Esportivo de Deodoro, na zona oeste do município do Rio, está localizado na região com maior índice de população jovem da cidade. Foi construído pelos Ministérios do Esporte e da Defesa para abrigar competições dos Jogos Pan-americanos e Parapan-americanos Rio 2007. Nele estão localizados dois centros esportivos nacionais de excelência, nas modalidades de Hipismo e Tiro Esportivo; e os centros de Hóquei sobre Grama e de Pentatlo Moderno. Essas quatro instalações da construção original de 2007 se somam ao ginásio de judô inaugurado em 2009, erguido pela Vale, no projeto Brasil Vale Ouro, em parceria com o governo federal.

    Desde o término do Rio 2007, o Complexo sediou 84 eventos esportivos dos diversos esportes que abriga.

    “O Complexo de Deodoro é resultado de um trabalho de planejamento do governo federal para incrementar esportes pouco difundidos no Brasil e para oferecer a estas modalidades instalações de alto nível para treinamentos, intercâmbios e competições”, declara o secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser. Ele acrescenta que não foi apenas o esporte de alta competitividade que ganhou espaços com a construção do Complexo. “Ali, num trabalho conjunto com algumas confederações e entidades comunitárias, oferecemos aulas de iniciação esportiva e projetos sociais que atendem crianças e jovens da região”.

    O arquiteto Bruno Campos, da BCMF Arquitetos, autor do projeto de Deodoro, diz que o Complexo foi projetado considerando-se que instalações para competições similares se aplicariam também aos futuros Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, incluindo na mesma área provas de diversas modalidades. “As instalações e intervenções urbanas do Pan 2007 formam agora um extraordinário legado, tendo desencadeado o início da revitalização e o desenvolvimento desse importante vetor da cidade”. Para ele, o projeto “lida com questões complexas de um contexto suburbano único, que abrange em uma mesma região um bairro militar bem ordenado e planejado, uma aglomeração informal de alta densidade, uma área industrial em meio a bairros de classe média e uma vasta paisagem natural exuberante. Com suas novas atrações (Parque Radical, a ser construído para o Rio 2016 em área contígua ao atual complexo) e melhoramento da infraestrutura, o novo Complexo Esportivo de Deodoro se tornará sem dúvida um formidável legado de revitalização urbana e de engajamento da população local na prática de esportes.”

    Outro concurso, em 2008
    O Complexo Esportivo de Deodoro abrigará, em 2016, nos Jogos Olímpicos, as competições de hipismo, tiro esportivo, esgrima, pentatlo moderno, canoagem slalom e ciclismo BMX e mountain bike – estas três no Parque Radical a ser construído – e provas eliminatórias de tiro com arco; e nos Jogos Paraolímpicos, esgrima em cadeira de rodas, hipismo e tiro esportivo. Além disso, o centro de hóquei sobre grama será local de treinamento.

    Em 2011, o Complexo será uma das principais sedes dos 5º Jogos Mundiais Militares no Rio, que reunirão aproximadamente 7 mil participantes, entre atletas e delegações, de mais de 100 países.

    Não é a primeira vez que a instalação esportiva é reconhecida fora do país. Por seguir padrões internacionais de design sustentável, primando pela qualidade das instalações e pela harmonia visual, seu moderno projeto arquitetônico representou o Brasil na VI Bienal Ibero-americana de Arquitetura e Urbanismo, entre abril e maio de 2008. Deodoro esteve entre as oito instalações que concorreram ao Prêmio de Obras Construídas. Ao todo, participaram da disputa inicial mais de 200 projetos.


    Fonte: Ministério do Esporte

    Maracanã fecha definitivamente para obras no dia 8 de setembro


    Publicada em 26/08/2010 às 19h36m
    O Globo
    Maracanã fechará definitivamente para obras no dia 8 de setembro - Foto: Reuters





    RIO - O Maracanã fechará as portas no dia 8 de setembro para as obras da Copa do Mundo de 2014. A decisão foi tomada nesta quinta-feira e anunciada pela CBF no início da noite. Com isso, Flamengo e Fluminense terão que procurar outro estádio para jogar. O mais provável é que ambos optem pelo Engenhão. O Fluminense terá mais dois jogos no Maracanã, contra Palmeiras e São Paulo. O Flamengo joga contra Atlético-MG e Santos.
    Confira a nota oficial da CBF, na íntegra:
    "A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ), conscientes de suas responsabilidades sociais, vêm a público informar que o Estádio Mário Filho - Maracanã deixará de receber os jogos do Campeonato Brasileiro a partir do dia 8 de setembro, quando se inicia a etapa do returno da competição.
    Trata-se de decisão motivada estritamente por motivos técnicos, visando a preservar a segurança e o conforto dos torcedores. Reconhecemos os esforços e a colaboração do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da SUDERJ no sentido de assegurar a utilização do Maracanã pelos clubes cariocas, mesmo com a imprescindível implantação de obras destinadas a torná-lo apto a receber os eventos relacionados à Copa do Mundo de 2014, com observância do estrito cronograma estabelecido pela FIFA.
    Maracanã fechará definitivamente para obras no dia 8 de setembro - Foto: Reuters
    Esta deliberação tem por escopo, também, manter a igualdade de condições entre os clubes participantes do Campeonato, que poderiam ser prejudicados caso a interdição do uso do estádio ocorresse em meio do returno do Campeonato. Parece-nos claro, no entanto, que a forçosa diminuição da capacidade do estádio, numa fase do Campeonato que habitualmente desperta maior interesse do público, poderia levar a uma situação crítica, pela falta de ingressos que satisfizessem o natural aumento da demanda.
    Assim agindo, procuramos propiciar cumprimento do comando do art. 14 e seu parágrafo, do Estatuto de Defesa do Torcedor, impossível de ser atendido com a inevitável redução da lotação do estádio.
    Contamos com a compreensão do público", escreveu a CBF.

    Prefeitura do Rio licita novo viaduto no Centro

    26/08/2010 - Transporte Idéias
    Foi publicada nesta última quarta-feira no Diário Oficial do município do Rio de Janeiro a licitação para a construção de um viaduto ligando a Perimetral à Linha Vermelha, no Centro do Rio. As informações são do “G1″.
    O novo viaduto irá facilitar a locomoção dos motoristas que circulam pelo bairro. O viaduto fará um trajeto novo pra levar todo o trânsito que sai na Francisco Bicalho para a Linha Vermelha. Ele sai da Perimetral, entra na Rua São Cristovão e termina na Linha Vermelha.
    Segundo estimativas, o projeto ficará pronto em 20 meses e vai custar cerca de R$ 66 milhões.

    quinta-feira, 26 de agosto de 2010

    Morar Carioca: prefeitura dá início à urbanização de morros da Coroa e São José Operário

    URBANIZAÇÃO


    Publicada em 25/08/2010 às 23h41m
    O Globo
      RIO - Sucessor do Favela-Bairro, oprograma Morar Carioca começa na prática nesta quinta-feira, conforme mostra reportagem de Selma Schmidt, na edição desta quinta-feira do GLOBO. Pela manhã, o prefeito Eduardo Paes dá arrancada às obras de urbanização das duas primeiras favelas beneficiadas pelo novo programa: nos morros da Coroa, sobre e junto ao Túnel Santa Bárbara, no Catumbi e em Santa Teresa; e de São José Operário, na Praça Seca, em Jacarepaguá. As ações irão além de novas ruas, praças, creches, coleta de lixo, gabaritos, limites, iluminação e redes de serviços públicos (água, esgoto e drenagem). Como a cidade formal, as comunidades terão equipamentos públicos conservados e serão alvo de operações "Choque de Ordem". Na Coroa e em São José Operário, serão gastos R$ 50 milhões.
      - Ampliamos o conceito de intervenção. No Morar Carioca, as residências têm um peso maior. Serão implantadas ligações domiciliares de esgoto e de água - explica o secretário de Habitação, Pierre Batista.
      Nos 82.511 metros quadrados do Morro da Coroa vivem 6.904 moradores em 1.726 casas. Segundo Pierre, as obras na favela vão durar 18 meses e custarão R$ 16,5 milhões. Só de praças serão construídas cinco. A favela, que ainda não tem uma creche, vai ganhar uma. Com 247.152 metros quadrados, em São José Operário vivem 6.472 pessoas em 1.718 casas. Lá, as obras custarão R$ 34 milhões e durarão 24 meses.
      Outras 21 favelas ou complexos deverão se somar à Coroa e a São José Operário, entrando em obras até 2012. Caso do Morro da Providência/Pedra Lisa, que ganhará até teleférico (com estações na Central, na Cidade do Samba e na favela) e plano inclinado (a partir de escadaria no alto da favela). O edital de licitação das obras, orçadas em R$ 119 milhões, foi lançado anteontem. As intervenções no morro devem começar em 90 dias, se estendendo por até três anos.
      Leia a íntegra desta reportagem na edição de O Globo digital (disponível somente para assinantes)

      segunda-feira, 23 de agosto de 2010

      Revitalização de áreas degradadas no Rio


      O prefeito Eduardo Paes sancionou a Lei n° 5.078/09,  que dispõe sobre a necessidade de identificar, dentro do Município do Rio de Janeiro, áreas com maior índice de degradação para adoção de ações que busquem mecanismos para revitalização dessas regiões.
      A proposta visa reduzir as desigualdades na cidade, buscando fixar empresas comerciais em áreas onde a oferta de empregos é praticamente nula e, assim, beneficiar os moradores locais, principalmente na questão do tempo gasto diariamente nos transportes. " A instalação e permanência desses grupos movimenta o bairro, melhora a questão da segurança nas ruas e naturalmente promove sua revitalização. Atualmente, grande parte da população perde cerca de duas horas, todos os dias, dentro de conduções o que acarreta, além de desgaste físico e mental, perda de produtividade".
      A prefeitura vai definir quais incentivos serão dados às empresas que fixarem endereço em áreas degradadas, principalmente nas regiões norte e oeste da cidade, num projeto que beneficiará tanto a população como empresários que investirem nas áreas previstas na lei.
      Clique abaixo para acessar a íntegra da Lei nº. 5078 de 22 de setembro de 2009.
      Lei nº. 5078 
de 22 de setembro 2009 - 25.6 KB
      Lei nº. 5078 de 22 de setembro 2009
      (PDF, 25.6 KB)

      sábado, 21 de agosto de 2010

      Cidade deverá ter mais três hotéis com 550 quartos até 2013


      O Globo, Luiz Ernesto Magalhães, 18/ago 

      O Rio deverá contar com três novos hotéis de negócios da Rede Accor até 2013, com um total de 550 quartos, em Copacabana, Botafogo (operados com a bandeira Ibis) e na Barra (com a marca Novotel). O investimento de R$ 125 milhões, visando atender à demanda por novos leitos na cidade por causa da Copa de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, foi anunciado ontem pelo empreiteiro capixaba José Luiz Galwan. Dono de construtora, ele atua como intermediário entre investidores interessados em aplicar no setor e a Rede Accor, que ganhará uma comissão para administrar os novos hotéis. 

      O anúncio foi feito durante o 52° Congresso Nacional de Hotéis, onde o BNDES anunciou a aprovação dos dois primeiros financiamentos da linha de crédito criada para incentivar a construção e a reforma de hotéis para a Copa. O grupo EBX receberá um empréstimo de R$ 146 milhões para a reforma do Hotel Glória, a ser reaberto no fim de 2011. Por sua vez, a construtora Galwan receberá R$ 12 milhões para o hotel Ibis, com 122 quartos, que está construindo na Rua Ministro Viveiros de Castro, em Copacabana. O BNDES ainda analisa outro pedido de empréstimo, de R$ 19 milhões, para a construção do hotel Ibis, com 240 quartos, em Botafogo.
      O estabelecimento na orla da Barra, com 188 quartos, não depende de recursos públicos.

      Zona Portuária de cara nova


      Meia Hora, 19/ago 

      O projeto Porto Maravilha promete revitalizar área que até então estava esquecida na cidade. "O governo está enxergando o Porto com novos olhos. As empresas que apostarem ali serão beneficiadas", diz Cláudio Hermolin, ressaltando que a perspectiva é muito boa e que a valorização dos terrenos já está sendo percebida. Entre os bairros que devem crescer no setor imobiliário estão os da região portuária, como Gamboa, e São Cristóvão.
      Segundo o vice-presidente da Ademi, o pontapé inicial já foi dado, mas será preciso conjunto de fatores para que a região entre em franco crescimento. "As empresas precisam apostar, mas por ser uma região carente de infra-estrutura, será preciso investimento para que o consumidor tenha interesse pelo local."

      Foco corporativo


      O Globo, Negócios & Cia, 17/ago 

      A Performance lança este mês o Connections Offices Madureira. Com 210 salas e 31 lojas, tem valor geral de vendas de R$ 35 milhões. O primeiro projeto da linha corporativa, na Freguesia, teve 140 salas e três lojas vendidas num fim de semana.

      sexta-feira, 20 de agosto de 2010

      BR Properties diz que teatro Adolpho Bloch não será demolido e edifício-garagem será construído nos fundos

      PRÉDIO DA TV MANCHETE


      Publicada em 19/08/2010 às 23h21m
      O Globo - 19/08/2010
        RIO -A companhia BR Properties, que comprou em junho o prédio onde funcionava a TV Manchete, na Praia do Flamengo, vai construir um edifício-garagem com pelo menos 320 vagas nos fundos do terreno, conforme noticiou Ancelmo Gois, nesta quinta-feira no GLOBO. O Teatro Adolpho Bloch, sediado no mesmo endereço, será mantido. O estacionamento vertical vai ser erguido atrás do prédio principal, que abrigará escritórios empresariais. A BR Properties afirmou, em comunicado emitido em junho, que respeitará fielmente a concepção original do imóvel da década de 70, de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer.
        As obras, previstas para serem concluídas em agosto do ano que vem, ampliarão a área de locação do edifício para 26,439 mil metros quadrados. A proprietária anunciou que alugará as salas de escritório, de reuniões e de eventos corporativos, além de um auditório. O prédio está desocupado desde 2000 e foi adquirido por R$ 260 milhões.
        A venda foi fechada com a Manchester Patrimonial, após o pagamento de um sinal no valor de R$ 250 mil em abril. No dia 30 de junho, a companhia pagou mais R$ 99,75 milhões. O restante será pago conforme datas previstas no contrato.

        terça-feira, 17 de agosto de 2010

        Barra vai ter mesmo um mergulhão

        Trânsito


        Publicada em 16/08/2010 às 23h05m
        Carla RochaRIO - Os problemas de trânsito na Barra da Tijuca foram o tema de um seminário que reuniu, nesta segunda-feira, moradores e lideranças do bairro com o prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão. Durante o evento, empresários e a prefeitura fecharam um acordo para a construção de um mergulhão, no cruzamento das avenidas das Américas e Luís Carlos Prestes (Via Parque), nas imediações do BarraShopping. As obras, que devem exigir um investimento de aproximadamente R$ 30 milhões, serão custeadas pelas construtoras Carvalho Hosken e RJZ-Cyrela.
        Moradores querem banir ônibus intermunicipaisEm troca, o município se comprometeu a concluir a Via Parque, inclusive com a construção de um viaduto ligando o Itanhangá à Vila do Pan. Além disso, uma lista de reivindicações foi apresentada ao prefeito durante o seminário, organizado pela Câmara Comunitária da Barra. Entre elas está um pedido para que o município termine o projeto da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso e proíba a circulação de ônibus intermunicipais pelo bairro, o que tem agravado os congestionamentos.
        Também foi entregue aos representantes do governo uma proposta para que a Linha 4 do metrô (prevista para ligar a Gávea ao Jardim Oceânico) seja estendida até o Terminal Alvorada. No encontro, foram apresentados os projetos dos BRTs (corredores expressos de ônibus), prometidos para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016.
        - O trânsito da Barra da Tijuca está muito difícil. A circulação dos ônibus intermunicipais, por exemplo, só tem contribuído para aumentar os engarrafamentos. As empresas têm autorização para ir até o Terminal Alvorada, mas não para ficar circulando dentro do bairro. Pedimos que isso fosse imediatamente proibido - diz Delair Dumbrosck, presidente da Câmara Comunitária da Barra.

        segunda-feira, 16 de agosto de 2010

        Obras de ampliação da Via Dutra começam nesta segunda-feira


        Publicada em 16/08/2010 às 11h32m
        O GloboRIO - A construção de um novo trecho de pista marginal na Via Dutra, na Baixada Fluminense, terá início nesta segunda-feira. Nesta primeira etapa, serão criados 5,6 quilômetros entre Nova Iguaçu e São João de Meriti (do km 176 ao km 170,4, no sentido Rio). Outros 2,2 quilômetros serão construídos entre Belford Roxo e Nova Iguaçu (do km 173,8 ao km 176, no sentido São Paulo).
        A nova pista marginal terá duas faixas de rolamento e acostamento. O objetivo é desafogar o trânsito e reduzir o problema dos congestionamentos na região, principalmente nos horários de pico.
        A previsão da CCR NovaDutra, concessionária que administra a rodovia, é a de que as novas pistas marginais fiquem prontas em dois anos. As obras, que serão entregues por etapas, têm custo aproximado de R$ 123 milhões.
        Desde o início da concessão da rodovia, em março de 1996, a CCR NovaDutra já implantou 15,3 quilômetros de vias marginais na Baixada. O último segmento construído foi entregue no início deste ano, entre o km 170,5 (Agostinho Porto) e o km 172,9 (acesso a Belford Roxo), no sentido São Paulo.

        Rock in Rio 2011: Eduardo Paes e Roberto Medina anunciam criação do Parque Olímpico Cidade do Rock

        Festival


        Publicada em 16/08/2010 às 18h03m
        Luiz Ernesto Magalhães

        Eduardo Paes e Roberto Medina anunciatam criação do Parque Olímpico Cidade do Rock. Foto de edro Kirilos /Agência O Globo
        RIO - O prefeito Eduardo Paes e o empresário Roberto Medina anunciaram nesta segunda-feira a criação do Parque Olímpico Cidade do Rock, na Barra da Tijuca. O local, uma nova área para a realização de grandes eventos na cidade, será inaugurado em 23 de setembro de 2011, com uma nova edição do Rock in Rio . Esta será a decima edição do evento, sendo a quarta no Rio. O festival já teve quatro edições em Portugal e duas na Espanha. O evento será realizado de 23 a 25 de setembro e de 30 de setembro a 2 de outubro de 2011.
        (Veja o mapa completo do Rock in Rio 4)
        (Opine: que artistas você gostaria de ver no Rock in Rio 4?) O acordo com a prefeitura prevê a realização de pelo menos três edições do evento nesta área, em 2011, em 2013 e 2015. O espaço também já é um legado dos Jogos Olímpicos de 2016, já que a área, às margens das lagoas da Barra, será usada para o lazer dos atletas que participarão da competição. O terreno está sendo desapropriado pela prefeitura, que fará obras de urbanização no local, cujo custo estimado é de R$ 40 milhões.
        O secretário municipal de obras, Alexandre Pinto, estima que os trabalhos levarão cerca de oito meses. Parte do aterro que será usado na preparação do terreno virá de material a ser drenado das próprias lagoas. O grupo responsável pelo Rock in Rio montará a infraestrutura necessária para adequar a área para eventos.
        A previsão é que evento tenha 108 atrações. Foto de Pedro Kirilos /Agência O Globo O terreno tem capacidade para até 150 mil expectadores, mas o Rock in Rio irá trabalhar com uma lotação de até 120 mil pessoas. A expectativa é que 600 mil assistam ao evento. Serão montados um palco principal e as tendas Eletrônica e Sunset. Haverá ainda parque de diversões, com tirolesa, roda gigante e um kabum. O empresário Roberto Medina disse que o valor do ingressos deve ficar entre R$ 180, a inteira. As atrações ainda não estão fechadas, mas ele sonha em trazer Shakira, Lady Gaga, Iron Maden, Guns n' Roses e Radiohead. Por dia serão 14 de horas de evento. Fora das datas de realização do festival, o espaço será administrado pela RioTur. O secretário municipal de turismo, Antônio Pedro Figueira de Melo, destacou que a cidade ganha uma grande área de eventos, que hoje não dispõe, já que a capacidade de áreas como o Sambódromo é bem inferior. O prefeito Eduardo Paes afirmou que a realização do evento em setembro é estratégica para atrair movimento para a cidade em uma época em que o Rio não tem tantas atrações.
        Leia mais:
        Rock in Rio 4 terá 108 atrações e Medina sonha com Shakira e Radiohead