quarta-feira, 25 de maio de 2011

Prefeitura já escolheu terrenos para desapropriações de áreas na Tijuca, em Vila Isabel e no Grajaú para piscinões contra enchentes

24/05/2011 - O Globo, Isabela Bastos

Abrindo caminho

RIO - O prefeito Eduardo Paes publicou na terça-feira dois decretos declarando de utilidade pública para fins de desapropriação (total ou parcial) cinco terrenos nos bairros da Tijuca, Vila Isabel e Grajaú para a construção de quatro piscinões de retenção de águas da chuva. Entre os alvos da medida estão três áreas pertencentes a uma rede de supermercados, um terreno onde funciona um feirão de automóveis e uma área verde no Alto Grajaú. Os reservatórios subterrâneos fazem parte de um antigo projeto da prefeitura para amenizar os alagamentos na bacia do Canal do Mangue, sobretudo na região da Praça da Bandeira e arredores. Ainda não há valores de indenização fixados. O projeto - orçado em R$ 292 milhões e incluído pelo município no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do governo federal - aguarda liberação de recursos da Caixa Econômica Federal.


Maior tanque terá 32 metros de profundidade

Em Vila Isabel, a área escolhida fica na esquina da Avenida Engenheiro Octácilio Negrão de Lima com a Rua Piza de Almeida. No local funciona o Boulevard Shopping Car, um galpão com revendedoras de carros. Ali a prefeitura pretende construir o maior dos reservatórios, para captar o excesso de água do Rio Joana. Pelo projeto, serão dois tanques com 32 metros de profundidade - o equivalente a um prédio de dez andares - e 4.400 metros quadrados de área. A capacidade total é de 143 mil metros cúbicos, mais de 57 piscinas olímpicas cheias.

O piscinão da Tijuca deverá ficar na Rua Heitor Beltrão e terá capacidade para 70 mil metros cúbicos, sendo destinado a conter parte do extravasamento do Rio Trapicheiros nas chuvas. Segundo o subsecretário de Gestão de Bacias Hidrográficas (Rio-Águas), Mauro Duarte, para dar lugar ao reservatório, será desapropriado parte do imóvel de número 80, onde fica o estacionamento do supermercado Extra. Dois terrenos na Rua Mariz e Barros 975 e 1.037, que dão fundos para a Heitor Beltrão, serão desapropriados parcialmente com o mesmo objetivo.

No Alto Grajaú, o reservatório será voltado ao Rio Jacó e terá capacidade para 50 mil metros cúbicos. O terreno, em frente a uma área da Light, faz divisa com as ruas Marianópolis e Borda do Mato e tem o perímetro fechado por uma área verde delimitada pela cota de 80 metros em relação ao nível do mar. O quarto reservatório, com capacidade para 18 mil metros cúbicos de água, ficará na Praça da Bandeira, em área pública, e captará a água de drenagem.

As obras buscam resolver o histórico problema das enchentes na Praça da Bandeira, retardando a chegada ou mesmo desviando parte da água que desemboca na região, durante temporais, através dos rios Joana, Trapicheiros, Maracanã e Papa Couve. Elaborada pela Rio-Águas, a proposta é dividida em duas partes. Além dos reservatórios, ela prevê a transposição do Rio Joana. A um custo de R$ 151 milhões, o rio será desviado por galerias subterrâneas, passando a desaguar diretamente na Baía de Guanabara. Hoje o Joana desemboca no Canal do Mangue. Essa parte da obra incluiria ainda a construção de uma calha subterrânea pela Rua Felipe Camarão, para o desvio de até 50% da água do Rio Maracanã, em caso de cheia. O projeto prevê ainda o aumento da calha do Rio Trapicheiros na Rua Francisco Eugênio.

A previsão é que as obras comecem no segundo semestre, com duração de 18 meses. A meta é que o sistema esteja concluído antes da Copa de 2014, uma vez que a área do Maracanã é núcleo da competição. De acordo com a Procuradoria Geral do Município, ainda não há definição sobre quanto deverão custar aos cofres públicos as desapropriações dos imóveis. Isso porque, após a publicação do decreto de utilidade pública, a prefeitura ainda fará um levantamento de campo para definir as áreas, dentro desses terrenos, que serão efetivamente desapropriadas. Somente a partir deste levantamento é que a PGM avalia as áreas para fixar os valores de indenização.

© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

2 comentários:

Anônimo disse...

GOSTARIA DE SABER SE ISTO VAI ACONTECER REALMENTE A PREFEITURA NAO DIVULGOU MAIS NADA SOBRE ESTE ASSUNTO

Anônimo disse...

Esse é um País democratico em que eles fazem e nós obedecemos. Não temos direito de voto ou opinião.