terça-feira, 4 de julho de 2017

Petrobras vai concluir construção do Comperj em parceria com chinesa

04/07/2017 - O Globo

Envolvida na Lava-Jato, obra de unidade em Itaboraí está parada desde 2014
   
POR RAMONA ORDOÑEZ 

Obras do Comperj - Fábio Rossi / Arquivo O Globo

RIO - A Petrobras vai concluir a construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, no Estado do Rio, em parceria com a gigante chinesa CNPC, revelou ao GLOBO um executivo próximo às negociações. A parceria entre a Petrobras e a chinesa foi anunciada pela estatal na manhã desta terça-feira, mas o comunicado afirma apenas que foi assinado um memorando de entendimentos para iniciar negociações para a realização de uma parceria estratégica.

O Comperj foi uma das obras envolvidas no caso de corrupção revelado pela Operação Lava-Jato e teve suas obras paradas desde 2014. Já foram gastos no projeto US$ 13 bilhões e nada foi construído até o momento. Segundo uma fonte, a expectativa é que a construção da refinaria no Comperj exija investimentos entre US$ 3,5 bilhões a US$ 4 bilhões.

A construção da refinaria do Comperj não consta do Plano de Negócios da Petrobras 2017/21, para a qual a estatal buscava um parceiro. O único projeto do Comper j neste momento da Petrobras é a construção da Unidade de Processamento de Gás Natural UUPGN), destinada a receber e processar o gás natural que será produzido no pré-sal, que será feita com investimentos próprios da Petrobras da ordem de US$ 2,5 bilhões a US$ 3 bilhões.

O memorando de entendimentos para a parceria entre as duas empresas foi assinado nesta terça-feira pelo presidente da Petrobras, Sr. Pedro Parente, e o vice-presidente da CNPC e presidente da PetroChina, Wang Dongjin, em Beijing, capital da China.

Segundo uma fonte próxima à estatal a CNPC manifestou maior interesse em fazer parcerias com a Petrobras na área de exploração e produção de petróleo, e aceitou participar da conclusão do Comperj com uma participação que será minoritária. Esse é o primeiro passo da Petrobras rumo a parcerias na área de refino. A parceria com a CNPC vinha sendo negociada há cerca de seis meses pela Petrobras.

No comunicado ao mercado, a Petrobras explica que o Memorando de Entendimento visa a iniciar negociações referentes a uma parceria estratégica:

“A partir desse Memorando de Entendimento, as empresas se comprometem a avaliar, conjuntamente, oportunidades no Brasil e no exterior em áreas-chaves de interesse mútuo, beneficiando-se de suas capacidades e experiências em todos os segmentos da cadeia de óleo e gás, incluindo potencial estruturação de financiamento.”

A Petrobras afirma que essa parceria “é uma estratégia importante do Plano de Negócios e Gestão 2017-2021. As parcerias estratégicas têm como benefícios potenciais o compartilhamento de riscos, o aumento da capacidade de investimentos na cadeia de óleo e gás, o intercâmbio tecnológico e o fortalecimento da governança corporativa.”

Desde 2013, a Petrobras e a CNPC são parceiras na área de Libra, primeiro contrato pelo regime de partilha de produção, localizada no pré-sal da Bacia de Santos. Sobre a Petrobras.

A CNPC é a maior corporação integrada de Óleo e Gás (O&G) da China, com atividades nos setores de upstream, midstream, downstream, marketing e comercialização, prestação de serviços petrolíferos, engenharia, construção e fabricação de equipamentos. A CNPC tem presença em mais de 70 países.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/economia/petrobras-vai-concluir-construcao-do-comperj-em-parceria-com-chinesa-21551577#ixzz4ltdXZEVc 
stest 

Nenhum comentário: